hosting image

O que é DNS e como funciona?

DNS (Domain Name System) é um sistema que facilita a comunicação entre homens e máquinas. Os homens usam nomes para se identificar. Já os computadores usam números. E o DNS aparece nesse meio termo para combinar os nomes com os números dentro de uma lista específica. Você provavelmente pensou no aplicativo de Contatos do seu smartphone, certo?

Basicamente, DNS é um sistema de bancos de dados distribuídos numa rede em que a principal função é traduzir a solicitação de certos hostnames para acessar números de IPs específicos que os computadores entendem. A informação sobre hostnames combinados com números específicos são mantidos em um diretório. Esse diretório é armazenado em servidores de nomes de domínio.

Como funciona o DNS?

Um DNS funciona aos passos e dentro de toda uma estrutura de grupos de DNS. Os passos começam com uma DNS Query, que nada mais é do que um pedido (query) por informação.

Vamos usar um cenário em que você está procurando por informação usando um navegador. Nele, você digita o nome de um domínio qualquer (por exemplo, www.google.com).

No começo, um servidor DNS vai procurar nos filehost (um arquivo simples de texto do sistema operacional responsável por mapear dos hostnames aos endereços de IP).

Se nenhuma informação for encontrada, ele vai procurar no cache (um componente de hardware ou software que guarda dados temporariamente).

Os lugares mais comum em que se armazenam dados em cache são os navegadores e em Provedores de Serviços de Internet (ISP – Internet Service Providers).

O resultado desse passo simples é uma mensagem de erro se nenhuma informação ou dado estiver disponível.

DNS Recursivo

Em uma situação em que uma query (solicitação) é enviada de maneira recorrente (repetitiva), um servidor pode pedir a outros servidores para atender à solicitação em nome do cliente (o navegador). Isso é o que chamamos de DNS Recursivo. É como se ele fosse um agente que trabalha muito para fazer com que cada pedido de informação seja respondida. O esforço para conseguir essa informação inclui chamar a ajuda do Root DNS Server.

Root Nameserver

Também chamado de Root Nameserver, o Root DNS Server é o nível mais alto dentro da hierarquia do DNS. Ele não tem nenhum nome formal e é rotulado como uma linha vazia implícita. Para entender melhor, imagine como se ele fosse um banco de referência.

Na prática, o DNS Recorrente repassa o pedido de acesso ao Root Nameserver. Então, o servidor responde à solicitação informando ao agente para ir a lugares mais específicos, que são os nomes de domínios de alto escalão do tipo TLD.

TLD Nameserver

Quando você quer acessar o Google ou o Facebook, você acaba acessando domínios com a extensão .com ao final deles. Este tipo de extensão é classificado como de alto escalão. Um servidor para este tipo de domínio é conhecido como TLD Nameserver. Ele é responsável por gerenciar todo tipo de informação de uma extensão de domínios comuns.

Assim como na solicitação de informações sobre o www.google.com, o TLD .com, como uma mera delegação, vai responder à solicitação de um DNS resolver referenciando um Servidor DNS Autoritativo, também chamado de Nome de Servidor Autoritativo. Esse é o único que têm recursos originais para esse domínio.

Nameserver Autoritativo

Quando um DNS resolver encontra um nameserver autoritativo, é quando tudo acontece. O Nameserver Autoritativo tem todas as informações do nome de domínio a que ele serve. Ele pode dar um resolver recorrente para o endereço de IP que o servidor encontrou no registro.

Os tipos de registros de DNS são:

  • A (Host). Um registro básico de DNS onde você pode adicionar um novo Host, TTL (Time to Live) e Aponta Para.
  • CNAME (Alias). Um registro que serve como um alias para outro domínio, onde você pode adicionar um novo Host, TTL (Time to Live) e Aponta Para.
  • MX (Mail Exchange). O registro para identificar o servidor que trabalha com o seu email, onde você pode adicionar um novo Host, TTL (Time to Live) e Aponta Para.
  • TXT (TextO). O registro que permite que você tenha informações em texto, onde você pode colocar um novo Host, TTL (Time to Live) e Aponta Para
  • AAAA (Registro de Endereço IPV6). É o A Record (Registro A), só que para protocolos IPV6, onde você pode colocar um novo Host, IPV6 e TTL (Time to Live).
  • NS (Nameserver). É o registro do servidor DNS, onde você pode adicionar um novo Host, Valor TXT e TTL (Time to Live).
  • SRV. É o registro para um tipo específico de dados em um DNS, onde você pode adicionar uma nova Prioridade, Nome, Peso, Porta, Aponta Para e TTL (Time to Live).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *